Arte por toda parte – Batukenjé Inclusivo

“Não existe meio mais seguro para fugir do mundo do que a arte, e não há forma mais segura de se unir a ele do que a arte.” (Johann Goethe) e O Batukenjé Inclusivo vem com o Projeto Kombo Arte Afro Brasileiro, mais uma ferramenta de alcance, que usa a música como resgate cultural e social. Desta vez, as crianças de famílias que vivem do trabalho no Lixão da Estrutural (DF) são o alvo do grupo. Conheça, participe, colabore!

Anúncios

Quando dizemos “arte por toda parte”, não estamos usando apenas um título bonito… O trabalho de resgate do Grupo Cultural Batukenjé toma novos rumos e cada vez mais arrojados em sua missão de inclusão social. O Projeto Kombo Arte Afro Brasileiro é mais uma ferramenta de alcance, que usa a música como resgate cultural e social. Desta vez, as crianças de famílias que vivem do trabalho no Lixão da Estrutural (DF) são o alvo do grupo.

Isso mesmo! O lixão que está em evidência no horário nobre através de uma novela que, diga-se de passagem, retrata bem de longe a realidade do local. O lixão da vida real é a Vila Estrutural, considerada uma das regiões mais pobres do Distrito Federal, que na década de 60 foi destinada para depósito de lixo. Em pouco tempo surgiram os primeiros barracos dos catadores, hoje conhecido como “Lixão da Estrutural”. Neste local as ruas são estreitas e sem pavimentação. Existe apenas uma escola de nível fundamental e um posto de saúde para atender uma população de mais de 35 mil moradores. Não há corpo de bombeiros para conter incêndios comuns em regiões assim. Crianças que certamente teriam pouca ou nenhuma possibilidade de acesso a música, a arte e a cultura, recebem duas vezes por semana o Grupo Cultural Batukenjé com oficinas que possibilitam uma melhor qualidade de vida e educação ao oferecer música, dança e confecção de instrumentos musicais (com reciclagem), o que certamente será base para auto estima e novas possibilidades de sonhos e projetos de vida para estas crianças.

A imagem registra o objetivo do projeto sendo atingido: crianças e adolescentes sendo acolhidos pelas oficinas ao invés de acompanhar seus pais no trabalho do lixão. Através da música, da dança e das oficinas de artesanato com reciclagem de materiais, são trabalhados diversos aspectos destas crianças e adolescentes: conhecimento de seu próprio corpo, troca de experiências e integração ao grupo e consequentemente integração à sociedade, permitido que se reconheçam como parte de um todo, estimulando identidade social, cidadania e sociabilização, além de estimular aptidões que os permitam vislumbrar um futuro fora do lixão. Ampliar as perspectivas de um grupo é estimular a inclusão. Só quando novos caminhos e possibilidades são apresentadas podemos escrever novas histórias de vida, evitar repetições, preconceito e limitações.

E a arte é uma linguagem forte, ampla, que pode penetrar em qualquer lugar. Para a arte não existe cor, credo, classe social ou limitação.

 E sabe o que é mais bacana? Se você quiser, pode fazer parte disso. Tornar-se um parceiro deste Projeto que oferece oportunidades e inclusão.  Não podemos ir ao lixão. Talvez nem pensemos nesta realidade que está tão distante de nós. Mas podemos sim nos fazer presentes de diversas formas. Esta matéria é uma delas – falar de um tema que normalmente não aparecem em blogs de moda ou arte – lixão, inclusão, outras realidades. Para saber como você, Pessoa Física ou Jurídica, pode apoiar o Projeto Kombo Arte Afro Brasileiro, segue abaixo o contato do Grupo Cultural Batukenjé:

Facebook do Meste Celin (Coordenador do Projeto, regulamentado e inscrito na Ordem dos Músicos e como Agente Cultural)

Site do Batukenjé

 “Não existe meio mais seguro para fugir do mundo do que a arte, e não há forma mais segura de se unir a ele do que a arte.” (Johann Goethe) – Então, o olhar atento do menino sedento determina: uma nova história está nascendo! Uma conexão com um mundo antes desconhecido… Revelado pela arte do Batukenjé.

Para o Batukenjé, inclusão é muito mais que um texto… É uma realidade! A música que permite a todos falarem uma só linguagem – A da Igualdade,  da Liberdade.

Faça uma visita ao Lixão da Estrutural  com o Batukenjé no vídeo abaixo.

Ajude a divulgar o Projeto clicando nas redes sociais. Colabore com a inclusão. Sempre podemos nos fazer presentes de alguma maneira. Escolha a sua! Temos falado em processos sustentáveis. Entendemos este trabalho como parte disso. Sem inclusão é impossível falar em processos sustentáveis.

Batukenjé já é nosso parceiro e conheça mais de seus trabalhos nestas outras matérias: Aqui e Aqui .

Fotos: Todas do Batukenjé, autorizadas para reprodução.

Texto: Lu Jordão

Photo Inspiração: Móvel Restaurado

Passando os olhos por nosso blog e loja virtual percebe-se de imediato nossa paixão por tecidos, pelo feito a mão, por restauração… Em nossas andanças pelo rico mundinho virtual, achamos uma foto linda desta escrivaninha na Marie Claire Francesa …

 

“Estampas florais em uma farra sem fio ou agulha! Tecidos vestem com humor itens encontrados ou recuperados. Um escritório perfeito para  ecologistas. Toda coberta com tecidos verde e rosa, em padrões de flores grandes. Os pés e os puxadores também foram pintados de vermelho, para um look total Inglês, vintage. Estas cores brilhantes não passam despercebidas bem como o encanto bucólico desta excelente peça em perfeita harmonia com a natureza em que é apresentada. “ Texto traduzido da Marie Claire França.

Delícia achar imagens lindas que conseguem traduzir nosso sentimento em relação a um objeto de desejo… Nesse caso, muito mais que um objeto de desejo… Um desejo de dar nova vida ao que já existe, reciclar, recriar quantas vezes nos for possível! Nosso ateliê está em fase final de montagem. Nossos móveis foram todos restaurados… Não compramos nenhuma peça nova! Demos nova vida ao que tínhamos… Nossa identidade, nossa história… Em breve vamos compartilhar fotos.

Por Lu Jordão

Moda e Arte por Ronaldo Fraga

Moda e Arte por Ronaldo Fraga em MG. Exposição “Rio São Francisco Navegado Por Ronaldo Fraga: Cultura Popular, Moda e História”. Mergulhar no processo criativo do estilista que valoriza uma moda brasileira, cheia de criatividade e identidade cultural.

A dobradinha que amamos, mais uma vez foi a visão do estilista Ronaldo Fraga (Ele respira arte em sua moda!). Junto com o Minas Trend Preview, Ronaldo promove a exposição Rio São Francisco Navegado por Ronaldo Fraga: Cultura Popular, Moda e História.

Instigante, a exposição introduz o público num mergulho no processo de criação do estilista mineiro… Esta é a melhor maneira de conhecer a moda, a arte! Ronaldo tem uma pegada totalmente artesanal em suas coleções, vinculando sua obra e coleções aos traços de nossa cultura. Sua moda tem identidade totalmente brasileira fruto de sua criatividade única com assinatura incomparável.

A preocupação com o meio ambiente e a valorização do artesanal, do feito a mão, dos grupos locais com dons delicados – rendas, bordados, imprimem um estilo único e agregam  valor imensurável a sua moda. Eu, Lu, tenho profunda admiração por seu processo criativo.

Os peixes (aproximadamente 1000 peças) presos ao teto no cenário da entrada da exposição, são feitos de garrafas pet. Uma forma de chamar a atenção para a preservação do meio ambiente. A moda pensando em sustentabilidade!

Os modelos da exposição são parte da coleção de 2009 inspirada no Rio São Francisco.

Serviço:

Rio São Francisco Navegado por Ronaldo Fraga: Cultura Popular, Moda e História
Horário:  de terça a sábado, das 9h30 às 21h; domingo das 16h às 21h; até 28 de novembro
Local: Galeria Alberto da Veiga Guignard / Palácio das Artes (av. Afonso Pena, 1.537) – Belo Horizonte/MG
Entrada franca

Post by Lu Jordão

Fotos: Vogue

Reciclagem Fashion – Bolsas e Clutch

O “re-design” da marca Nimli, de NY, que fez bolsas e clutch a partir da reciclagem de revistas.

São revistas? Sim! E viraram bolsas e clutch no mínimo inusitadas! O “re-design” da Marca Nimli, loja virtual nascida em NY, dedicada a fornecer produtos de estilo para o público que busca vida natural, orgânica e sustentável. Originais!

Por Lu Jordão